Najila
Sumiço do tablet de Najila ainda é investigado pela Polícia (Imagem: Reprodução / Record)

A investigação do suposto arrombamento ao apartamento em que Najila Trindade morava em São Paulo terá mais tempo. A Polícia Civil pediu, nesta quarta-feira (10), a prorrogação do prazo. O caso tem relação com a acusação de estupro feita pela modelo contra Neymar.

Segundo informações do UOL Esporte, o período inicial de 30 dias para os trabalhos terminou sem uma conclusão. Por isso, a polícia pediu à Justiça para estender o tempo do inquérito.

Najila afirma que o suposto arrombamento aconteceu no mesmo momento do furto do tablet, que continha imagens feitas no quarto em que ela se encontrou com o jogador em Paris.

Conforme ela afirmou em depoimento, a gravação seria do segundo encontro com Neymar e provariam o crime sexual.

As investigações da Polícia Civil sobre sumiço do eletrônica começaram em 6 de junho, dia seguinte à suposta invasão ao apartamento.

Cabe lembrar que o inquérito que apura estupro segue na 6º Delegacia de Defesa da Mulher e também aguarda resposta da Justiça a um pedido de prorrogação de prazo. A Polícia Civil aguarda o resultado de perícias e das imagens do circuito do hotel onde teria ocorrido o crime sexual.

 

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!