Rafinha Bastos é atacado ao opinar sobre polêmica de Sérgio Reis: “A cara do PSOL”

Rafinha Bastos e Sérgio Reis
Rafinha Bastos se envolve em polêmica de Sérgio Reis (Imagem: Reprodução / Instagram)

Rafinha Bastos não ficou de fora da polêmica envolvendo o cantor Sérgio Reis, que, em áudio vazado, defendeu a paralisação dos caminhoneiros para pressionar o Senado a derrubar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

No Twitter, o ex-CQC disparou. “Brasil chocado com o posicionamento político do Sérgio Reis. Quando o país via este homem vestido de cowboy em cima de um cavalo cantando os sucessos Vaqueiro Solitário, Casamento é uma Gaiola e Pau de Arara, pensava na hora: É do PSOL!“.

Entre seu público, foi aplaudido e xingado por associar o sertanejo, com clara afinidade à ala bolsonarista, ao partido de esquerda.

Esta não é a primeira e provavelmente não será a última vez que o humorista usa suas redes sociais para falar de política. Recentemente, ele disparou xingamentos ao comentar o plano de vacinação contra a Covid-19, liderado pelo Governo Federal, na figura do presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido).

Bota o [vice-presidente Hamilton] Mourão nessa merda. Foda-se. Tira, bota qualquer um. Não bota ninguém, deixa sem presidente. Puta que pariu!”, desabafou o artista, indignado com a situação.

No desabafo, o ex-apresentador da Band fez uma comparação em relação a outros países, como os Estados Unidos, onde morou recentemente.

Cheio de amigo meu comediante com 30, 35 anos, postando foto vacinado, já. E nós aqui. Não é que não podemos pensar na vacina – não temos nem perspectiva de quando poderemos ir a um restaurante”, disparou o famoso.

No ano passado, ele também criticou o chefe do Executivo em um vídeo feito em inglês para, segundo ele, os brasileiros enviarem aos amigos estrangeiros. Na gravação, o famoso faz um resumão sobre a situação do político, mas com muitas ironias e deboches.

O presidente brasileiro pegou Covid. Por que? Porque ele é um idiota. Só por isso. […] Essa mistura Adolph Hitler e Jim Carey em Débi e Lóide é Jair Bolsonaro, o presidente do Brasil, que é o país do carnaval, do futebol e da surra de bunda”, disse, na época.

O artista acrescentou: “Bolsonaro se tornou um dos grandes nomes da extrema-direita do planeta. Ele foi escolhido o pior líder do mundo no trato do Coronavírus”.

Na gravação, Rafinha ainda deu detalhes da trajetória do presidente da República, desde os tempos dele como militar até os dias atuais. “Ele ganhou 27 anos de dinheiro público para aprovar duas leis. Uma participação tão irrelevante quanto a participação do Brasil nas Olimpíadas de Inverno”, destacou o famoso.

Confira:

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›