Record polemiza e associa o PT ao narcotráfico; partido pede fortuna de indenização

Record
Record é processada pelo Partido dos Trabalhadores por reportagens polêmicas (Imagem: Reprodução / Record)

A Record causou revolta nos dirigentes e políticos do Partido dos Trabalhadores (PT) nesta semana. O motivo? A emissora exibiu cinco reportagens nos últimos dias em que associou a legenda ao narcotráfico.

Por causa da situação, os advogados do PT entraram com uma ação na Justiça do Distrito Federal contra o canal de Edir Macedo por crime de calúnia e difamação. O partido pede uma indenização de R$ 100 mil.

Eles classificam a autora das matérias, a espanhola Cristina Segui, como uma “pseudojornalista”, e que o material exibido nos primeiros 22 dias do mês de outubro não traz nenhuma prova da acusação.

“A ação demonstra que a Record vem repetindo sistematicamente acusações sabidamente falsas contra o PT e seus dirigentes, inclusive o ex-presidente Lula e a presidenta Gleisi Hoffmann, feitas em entrevista de uma blogueira espanhola de extrema-direita, conhecida em seu país por espalhar fakenews agressivas (tendo sido inclusive condenada por isso)”, declarou o partido, em nota.

A direção da legenda ainda salientou que a ação dos advogados demonstra “que a Record está levando a uma rede nacional de TV o método criminoso da fakenews empregado nos subterrâneos da internet”.

A defesa do PT conclui que a emissora “proferiu grave e inconsequente ofensa e violação à honra objetiva e subjetiva do Requerente com calúnia e difamação, ainda mais agravante em razão do alcance incalculável de visualizações e compartilhamentos nas redes sociais”.

“Pelos crimes de calúnia e difamação os advogados demandam que a emissora seja condenada a indenizar o PT na quantia de R$ 100 mil. Requerem também que as matérias ofensivas sejam retiradas das redes sociais ligadas à Record e que a emissora deixe de divulgar as acusações falsas, frisando que esta decisão não configura nenhum tipo de censura, mas a garantia constitucional de preservação da imagem e da honra”, completou o comunicado.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›