Regina Duarte esnoba incêndio na Cinemateca e deixa a web revoltada

Regina Duarte
Regina Duarte não esboça reação após incêndio na Cinemateca de SP (Imagem: Reprodução / Globo)

Regina Duarte, fiel ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e quase responsável pela Cinemateca de SP no ano passado, quando deixou a Secretaria Especial de Cultura, não falou uma vírgula sobre o incêndio que abalou o espaço na última quinta-feira (29).

Em um post da última sexta-feira (30), a veterana da TV compartilhou um texto comemorando a estadia em um hotel em Gramado, no Rio Grande do Sul:

“Ao final de uma semana privilegiada, escolho este Amor Perfeito, florzinha miúda e equilibrada em suas formas e cores como símbolo de uma temporada de aprendizados novos e aproximação de novos conhecidos, inteligente e sensíveis, portadores de histórias de vida fantásticas…”.

“E nenhuma palavra sobre a Cinemateca!”, observou uma internauta. “Regina o que tem a dizer sobre a cinemateca? Afinal ela foi prometida a você”, recordou outro. “[A] Cinemateca em chamas, e a artista postando foto de florzinha. Muito que bem”, cutucou um terceiro.

“Boa noite, Regina. Gostaria que desse a sua opinião sobre o incêndio da nossa Cinemateca. O que significou para a senhora, enquanto grande atriz dos nossos palcos e telas?”, indagou mais um. Até o momento, a atriz não comentou o assunto.

Para a Cinemateca? Silêncio, mas para a estátua de Borba Gato, queimada durante uma manifestação contra o governo federal, ela exigiu uma apuração severa contra os responsáveis pelo atentado.

A Cinemateca da Regina

A Cinemateca Brasileira quase ficou na mão de Regina Duarte. Era o desejo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) depois que o próprio demitiu a atriz da Secretaria Especial de Cultura.

Os planos do “capitão” foram interrompidos em razão de um imbróglio judicial envolvendo o Ministério da Educação, a Secretaria Especial de Cultura e a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp).

Em março de 2018, foi assinada uma parceria entre o antigo Ministério da Cultura e o Ministério da Educação, em que a Cinemateca passava a ser administrada integralmente pela Acerp por um período de 3 anos, portanto, até este ano.

Mesmo com a situação complicada, Bolsonaro fez a promessa em vídeo: “Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP”.

Na época, Regina Duarte definiu a decisão do presidente como um presente. “Acabo de ganhar um presente, que é o sonho de qualquer profissional de comunicação, de audiovisual, de cinema e de teatro, um convite para fazer cinemateca que é um braço da cultura em São Paulo”, celebrou.

Confira:

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›