Salve-se Quem Puder usou shipps para esconder trama inconsistente

Salve-se Quem Puder
Felipe Simas (Téo), Juliana Paiva (Luna) e Rodrigo Simas (Alejandro) em Salve-se Quem Puder; último capítulo vai ao ar nesta sexta-feira (16) (Imagem: Danilo Togo / Globo)

Salve-se Quem Puder chega ao fim nesta sexta-feira (16) com saldo positivo. A novela de Daniel Ortiz manteve a audiência da Globo às 19h em alta. Também propiciou o escapismo necessário nestes tempos de tensão nos noticiários, com as crises políticas e sanitárias. A pausa imposta pela pandemia de Covid-19, surpreendentemente, fez bem ao enredo. A redução no número de capítulos encurtou o troca-troca de casais previstos não só para as protagonistas como também entre os personagens paralelos.

Foi este, aliás, o grande equívoco da trama. A boa premissa, das três mocinhas que testemunham um assassinato, entram para o Programa de Proteção a Testemunhas, mudam de identidades e buscam formas de manter os elos com familiares e amigos ficou comprometida pelo humor raso e pelo entrecho policial pouco elaborado. As cenas de investigação envolvendo Alexia (Deborah Secco), Kyra (Vitória Strada) e Luna (Juliana Paiva) beiravam a imbecilidade. As explanações em voz alta dos planos das heroínas e dos vilões subjugavam a inteligência do público.

Mas, apesar dos deslizes, tais sequências pouparam o telespectador de cenas e mais cenas voltadas apenas para as discussões sobre o par romântico ideal, como se viu no penúltimo capítulo – com Luna, Kyra e Ermelinda (Grace Gianoukas). Novela é romance, fato. Contudo, o debate sobre “quem fica com quem”, quase todo capítulo, foi cansativo. A opção pela narrativa em torno dos shipps limitou, inclusive, as rivais das protagonistas. Bel (Dandara Mariana), Renatinha (Juliana Alves) e Úrsula (Aline Dias) não foram além das já esgotadas mulheres “doidas por machos”.

Desta forma, não foi difícil para que Juliana Paiva se sobressaísse. Luna acabou favorecida pela sinopse digna de folhetim mexicano – explicitada na origem da personagem e no apreço dela por títulos relacionados à gigante Televisa. A trama mais consistente de Salve-se Quem Puder também propiciou bons momentos para Flávia Alessandra, a Helena. Ainda na lista dos desempenhos acima da média, Thiago Fragoso (Alan), Murilo Rosa (Mário), João Baldasserini (Zezinho) e Grace Gianoukas.

Mulheres no domingo

Adriane Galisteu e Eliana vão se enfrentar pela primeira vez neste fim de semana (18). Bem avaliada na Record, a apresentadora do Power Couple Brasil estará no comando do Hora do Faro – substituindo Rodrigo Faro, que esteve com Covid-19 nos últimos dias. Ela receberá personagens que viralizaram nas redes sociais e também os cantores Vitor Fernandes, a dupla Diego & Victor Hugo, e Tierry. Já a sua concorrente do SBT exibirá uma entrevista que gravou com Iza no Rio de Janeiro e também o quadro de sucesso Minha Mulher Quem Manda.

Fica a dica

Neste sábado (17), o É de Casa exibe mais um episódio da série Quanto Mais Cedo, Maior, apresentada por Drauzio Varella. Através do pai solo Henrique Lima e de Maria Fernanda, de 4 anos, residentes em Carapicuíba, São Paulo, a atração discute a importância de brincar. A produção da Pródigo Films, cabe lembrar, tem o apoio das fundações Bernard Van Leer, Itaú Social, Porticus América Latina e Maria Cecilia Souto Vidigal – que lançou o Guia de Brincadeiras para Família de 0 a 6 anos, com sugestões de atividades entre pais e filhos para o período da pandemia de Covid-19.

Nova fase

Luísa Sonza está em um novo momento da sua vida. De volta às redes sociais e com novo álbum, a cantora tem outro motivo para comemorar. Ela estreia no dia 7 de agosto um programa no Multishow. Intitulado Prazer, Luísa, o formato vai colocar a artista abrindo a sua intimidade e dando detalhes do processo criativo de seu novo trabalho. A atração, de cinco episódios, ainda terá convidados e musicais.

Tudo novo

Jornal da Record News
Augusto Nunes e Camilla Busnello no Jornal da Record News; noticiário estreia nova fase na segunda-feira (19) (Imagem: Edu Moraes / Record)

Comemorando 10 anos, o Jornal da Record News estará totalmente novo partir da próxima segunda-feira (19). Reformulado, com novos cenários e identidade visual, o telejornal passará a ser comandado por Augusto Nunes e Camila Busnello. Os jornalistas apresentam o noticiário na bancada, que volta a fazer parte do estúdio, em um design bastante contemporâneo, com predominância da cor azul, no qual se destaca ao fundo a imagem de uma cidade. Heródoto Barbeiro, que estava à frente da atração até o ano passado, passa a ser comentarista do formato. Heródoto ainda assumirá dois novos projetos da Record News Brasil.

Em destaque

Recém-lançado, o HBO Max estreia no final deste mês a sua primeira série original brasileira. Trata-se de Os Ausentes, uma trama investigativa de dez episódios, com 45 minutos de duração cada, protagonizada por Maria Flor e Erom Cordeiro. Com estreia marcada para acontecer no dia 22 de julho, a produção acompanha a rotina de uma agência de investigação de pessoas desaparecidas. A cada episódio uma nova história é contada no seriado, que traz no elenco convidado nomes como Jacqueline Sato, César Troncoso, Indira Nascimento, Nuno Leal Maia, Negra Li, Flávia Garrafa e Augusto Madeira, entre outros.

Quem avisa?

Mariana Ximenes cometeu uma gafe ao relembrar a novela Uga-Uga (2000). “Eu adorei relembrar que eu já fui capa de disco. […] Quem tiver esse LP me avisa aqui por favor? Acreditam que eu não tenho?!”, legendou a atriz. O problema é que a capa em questão foi criada por um fã-clube e o vinil também não existe, já que a última trilha sonora lançada neste formato foi a de A Indomada (1997). Para completar, a colega Fernanda Nobre afirmou: “Eu tinha esse LP”.

Confira:

Duh Secco e Luiz Fábio AlmeidaDuh Secco e Luiz Fábio Almeida
A coluna Curto-Circuito é assinada por Duh Secco e Luiz Fábio Almeida, editores-assistentes do RD1 e reúne, de terça a sábado, logo cedinho, o que é e vai virar notícia nas próximas horas envolvendo os movimentados bastidores da TV.
Veja mais ›