SBT é acusado de colocar a vida dos funcionários em risco durante a pandemia

SBT
SBT é alvo de sindicalistas após demissões em Brasília (Imagem: Reprodução / SBT)

SBT e Silvio Santos são acusados de provocar “grande insegurança” e de ter colocado em risco a vida dos seus funcionários em Brasília durante a pandemia da covid-19. As declarações graves contra o canal local vieram de uma nota conjunta do Sindicato dos Radialistas do DF e do Sindicato dos Jornalistas do DF.

Os sindicatos repudiaram as demissões em massa de trabalhadores da emissora após o anúncio de 15 demitidos na última quinta-feira (8). As duas entidades colocaram os seus advogados à disposição para qualquer ação trabalhista. Além da carta de repúdio, os sindicalistas alertaram pelo desejo de uma reunião com a direção do SBT para “questionar as demissões”.

Radialistas e jornalistas não pouparam críticas contra o trabalho da TV da família Abravanel em relação aos protocolos de segurança durante a pandemia: “Vale ressaltar ainda que o SBT em Brasília, durante a pandemia, teve um grande número de trabalhadores infectados pelo novo coronavírus, principalmente porque a empresa não tomou as medidas necessárias de proteção aos funcionários, o que trouxe vários transtornos”.

Sobrou até para a CNN Brasil e a possível negociação com Silvio Santos para o controle total do jornalismo da TV aberta. “A medida é proibida pela legislação, apesar de prática recorrente no país. O SBT, como uma concessão pública, tem o dever legal de manter programas noticiosos para informar a população”, informou o sindicato.

Confira o manifesto na íntegra:

“O Sindicato dos Radialistas do DF e o Sindicato dos Jornalistas do DF repudiam as demissões em massa de trabalhadores no SBT. Nesta quinta-feira, foram anunciadas cerca de 15 demissões na emissora, o que vem provocando grande insegurança entre os trabalhadores.

As entidades prestam solidariedade e colocam seus departamentos jurídicos à disposição dos trabalhadores demitidos. Infelizmente, pela reforma trabalhista aprovada no governo Temer, com apoio dos setores mais retrógrados do país, foi retirada a proibição de demissões em massa sem negociação com os sindicatos.

Nos últimos dias, circula também a informação de que o SBT estaria arrendando sua programação para a CNN Brasil. A medida é proibida pela legislação, apesar de prática recorrente no país. O SBT, como uma concessão pública, tem o dever legal de manter programas noticiosos para informar a população. Infelizmente, o grupo Silvio Santos ignora todas as barreiras legais.

Vale ressaltar ainda que o SBT em Brasília, durante a pandemia, teve um grande número de trabalhadores infectados pelo novo coronavírus, principalmente porque a empresa não tomou as medidas necessárias de proteção aos funcionários, o que trouxe vários transtornos.

Os sindicatos irão acionar o SBT e pedir reunião para questionar as demissões, neste momento em que enfrentamos uma crise sanitária, econômica e social, em que a comunicação social se faz ainda mais essencial.”

CONTINUE LENDO →

Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter e escreve semanalmente para a coluna Você Sabia?. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.