Trajetória vitoriosa de Adriane Galisteu justifica escalação para A Fazenda 2021

Adriane Galisteu
Escolha de Adriane Galisteu para A Fazenda 2021 é reconhecimento de trajetória vitoriosa (Imagem: Edu Moraes / Record)

A Record não confirma, mas… Informações do jornalista Flávio Ricco, do portal R7 – também do grupo de mídia de Edir Macedo –, garantem que Adriane Galisteu já é apresentadora de A Fazenda 2021. A escolha passa, claro, pelo bom desempenho à frente do Power Couple Brasil. E pelo talento demonstrado ao longo da trajetória profissional marcada por altos e baixos.

Adriane despontou para o estrelato nos anos 1980, como modelo e integrante de grupos musicais. O relacionamento com Ayrton Senna e o início da carreira como apresentadora e atriz marcaram a década seguinte. Ela se dissociou do rótulo de “namorada de Senna” – que a família ignorava e Xuxa Meneghel reivindicava – com atrações na CNT, na MTV e na RedeTV!.

O bom desempenho à frente da fase inicial do Superpop despertou a atenção da Record. Foram quatro anos no comando do É Show. Galisteu deixou a casa no momento em que a briga pela vice-liderança com o SBT se acirrava. Consagrada como apresentadora, ela tirou de letra todas as armadilhas de Silvio Santos, que, tão inquieto quanto teimoso, “sabotou” a então contratada de muitas formas.

Adriane Galisteu rumou para a Band após o fim do compromisso com o SBT. Marcou presença na TV paga e na Globo, como participante da Dança dos Famosos – onde, eufórica, levou Fausto Silva ao chão – e do elenco de O Tempo Não Para (2018).

Bem informada, descontraída e espirituosa, Adriane remete a Hebe Camargo. A rainha da TV sempre serviu de referencial para a nova capitã de A Fazenda, conforme ela destacou numa edição da Contigo! do início do século XXI. As duas estiveram juntas no Fora do Ar (2005), um dos poucos formatos diferente do sofá que consagrou Hebe. E um dos muitos do qual a versátil Galisteu participou.

O reality rural é, sem sombra de dúvida, o maior desafio dela até aqui. O programa vem da boa fase comandada por Marcos Mion, dispensado do posto e da emissora sem maiores explicações. Já Roberto Justus, antecessor de Mion, não foi tão feliz à frente da atração, que “nasceu” com Britto Jr. O Power Couple é agora apenas um laboratório, diante da força da próxima empreitada.

Aqui, cabe destacar também, ainda que tardiamente, a aposta da Record em uma mulher para o principal produto de seu entretenimento. Algo com o qual a líder Globo, “sempre na vanguarda”, ainda não sonha.

Duh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog Vivo no Viva, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›