Web e TV dividiram protagonismo na cobertura da morte de Marília Mendonça

Marília Mendonça
Cobertura da morte de Marília Mendonça mobilizou web e TV; assessoria errou ao negar gravidade do acidente que vitimou cantora (Imagem: Reprodução / Instagram)

A notícia não tem hora, nem lugar. Quem diria que, ontem (5), por volta das 15h30, teríamos de acompanhar os desdobramentos da queda de um avião que levou Marília Mendonça e outras quatro pessoas à morte? Logo Marília, de tanto sucesso, com vários projetos e um filho de quase dois anos para acompanhar vida afora… A cobertura do acidente mobilizou as emissoras de TV. E, especialmente, as redes sociais.

Logo após a queda do avião, Super Canal, a TV local de Caratinga, Minas Gerais, iniciou uma transmissão ao vivo via Facebook. Um repórter – a coluna Curto-Circuito não chegou ao nome dele, que merece citação – conduziu a cobertura com tranquilidade, apesar da tensão do momento. Quando os bombeiros resgataram a primeira vítima, sem chance de recuperação, o profissional tomou o cuidado de não mostrar o corpo.

Neste exato momento, a assessoria de Marília cometeu um equívoco gravíssimo. Os responsáveis pela relação da cantora com a imprensa divulgaram nota afirmando que todos os envolvidos na queda estavam bem, a caminho do hospital, enquanto a web assistia os desdobramentos do desastre, já com apreensão. A nota da assessoria levou à desinformação e ampliou o temor sobre as consequências do acidente.

Foi também nas redes sociais que a morte de Marília Mendonça acabou, digamos, confirmada. A Globo e a GloboNews estavam ao vivo quando o corpo da cantora foi retirado do avião. Seguidores e fãs rapidamente associaram um pedaço de tecido à roupa que Marília usava no momento do embarque. A TV, ágil, reproduziu tal observação. Daí para o pronunciamento das autoridades envolvidas no resgate foi questão de minutos.

Esta troca entre a televisão e a web, o velho e o novo, foi observada também no plantão do Jornal Nacional. A tarimbada Ana Paula Araújo conduziu o videorrepórter Hérisder Matias, da InterTV dos Vales, na que foi, certamente, sua interação de maior peso até hoje com a rede. A Globo reapresentou várias vezes o momento em que Marília Mendonça foi retirada, sem vida, do avião. Uma tática de guerra diante da concorrência.

Na Record, Luiz Bacci deu seu habitual show de egocentrismo. As informações dividiram espaço com histórias dele envolvendo Marília. José Luiz Datena, que conduzia atração similar na Band, foi mais respeitoso com o noticiário e os enlutados. O SBT só tocou no assunto após às 18h. Relapsos, os responsáveis não retiraram do TP a informação de que o show da cantora em Caratinga estava cancelado, o que desconcertou a jornalista Márcia Dantas.

A tragédia que deixou brasileiros consternados não mandou aviso. Mas, diante do fato, a apuração, a agilidade e o respeito se impõem. Do repórter que informa apenas munido de um celular, da assessoria que mente, do auxílio da jornalista experiente ao profissional promissor e do desleixo – o mesmo SBT atrapalhado não tomou o cuidado se preservar o corpo sem vida –, a cobertura da morte de Marília Mendonça deixa várias lições.

Homenagens

Considerada uma das maiores cantoras da atualidade, Marília receberá homenagens em todos os canais da TV aberta. Na Record, o Hora do Faro terá um momento para lamentar a morte da artista e o Domingo Espetacular contará com uma reportagem especial com a trajetória da “Rainha da Sofrência”. No SBT, o Domingo Legal lembrará de participações da artista na emissora e também comentará a respeito do acidente aéreo. Eliana, por sua vez, exibirá uma participação especial da sertaneja na atração, que ocorreu há um ano, no aniversário da loira.

Falando nisso…

A Globo se destacou na cobertura do acidente que vitimou a artista e outras quatro pessoas, nesta sexta-feira, e fez uma rápida movimentação para colocar no ar um especial. Patrícia Poeta se saiu bem e mostrou muito jogo de cintura na condução do programa, que resgatou entrevista dela no Conversa com Bial e também exibiu trechos do documentário da artista no Globoplay. O programa ainda contou com entradas ao vivo de repórteres espalhados em diversas cidades do país.

Participação não ocorreu

Fenômeno do sertanejo, a artista já estava confirmada para fazer uma participação especial na série Rensga Hits, do Globoplay. Alice Wegmann, que está em Goiânia gravando o seriado, até mostrou nas redes sociais um trecho do roteiro em que a cantora participaria. “Esse foi o mais perto que cheguei da Marília Mendonça. Uma quase cena. Infelizmente, ela não aconteceu”, declarou a atriz.

Trilhas de novelas

Além de ter participado de um capítulo de A Força do Querer (2017), a famosa serviu de trilha sonora para vários casais da teledramaturgia brasileira. Um dos seus maiores sucessos, Eu Sei De Cor sempre era tocado nas cenas de Zeca (Marco Pigossi) e Jeiza (Paolla Oliveira), na trama assinada por Gloria Perez. Em A Lei do Amor (2016), a música Folgado foi tema de Mileide (Heloísa Périssé) e Jader (Érico Brás). Já em A Dona do Pedaço (2019), Bebi Liguei foi tema de Vivi (Paolla Oliveira, de novo) e Chiclete (Sérgio Guizé).

MAIS LIDAS

Curto-Circuito, por Luiz Fábio Almeida
A coluna Curto-Circuito é assinada por Luiz Fábio Almeida, editor-assistente do RD1, e reúne, de terça a sábado, no início da tarde, o que é e vai virar notícia nas próximas horas envolvendo os movimentados bastidores da TV.
Veja mais ›