10 atrações que o SBT deveria resgatar para celebrar seus 40 anos

SBT
Eliana no Bom Dia & Cia; Gugu Liberato no Viva a Noite: 10 programas que o SBT deveria resgatar nos 40 anos (Imagens: Carlos Manfredo – Detinho Oliveira / SBT)

A volta do Show do Milhão, com patrocínio de um aplicativo financeiro e apresentação de Celso Portiolli, é o grande destaque dos 40 anos do SBT. A retomada do formato consagrado por Silvio Santos poderia, quem sabe, vir acompanhada de outras atrações que fizeram história na emissora. A coluna lista 10 produções do passado que cabem, perfeitamente, no SBT do futuro.

Bom Dia e Cia

Bom Dia e Cia
Eliana à frente do Bom Dia e Cia (Imagem: Francisco Inácio / SBT)

O Bom Dia e Cia segue no ar, mas o conteúdo, nem de longe, lembra o dos áureos tempos em que Eliana levava às crianças noções de cidadania, educação e meio ambiente. Desta fase, restaram apenas desenhos que a repetição exaustiva se encarregou de desgastar… Este amontoado de animações reapresentadas em looping, entre um clipe e outro da Galinha Pintadinha, bem poderia ser substituído pelo antigo formato. Evidente que a volta de Eliana à atração não cabe. Mas o estilo do ‘Bom Dia’ nas mãos dela, com uma linguagem mais próxima à da Cultura do que a do próprio SBT e de outras emissoras, faria o tradicional programa mais inteligente, digno das crianças de hoje.

Curtindo uma Viagem

Curtindo uma Viagem
Celso Portiolli no comando do Curtindo uma Viagem (Imagem: Francisco Inácio / SBT)

Curtindo uma Viagem, apresentado por Celso Portiolli nas tardes de domingo entre 2001 e 2002, trazia a disputa de dois grupos formados por cinco amigos, em provas externas e no estúdio, por um passeio em locais paradisíacos. Os fãs de Portiolli “evocam” a atração, constantemente, no Twitter. O ‘Curtindo’ é apontado como alternativa para o (necessário) descanso do Passa ou Repassa, quadro que domina as primeiras horas do Domingo Legal. O SBT também poderia aproveitar o programa nas combalidas tardes de sábado – dia em que o canal, comumente, sofre derrotas para Record e Band. Neste caso, convém apostar em outro nome no comando. Por que não André Vasco, de passagem bem-sucedida pela casa?

Gol Show

Gol Show
Luís Ricardo, apresentador do Gol Show (Imagem: Moacyr dos Santos / SBT)

Em meio aos investimentos em torneios esportivos, o Gol Show desponta como alternativa para antes, durante e depois das partidas. No game conduzido pelo próprio Silvio Santos – e, em fases posteriores, por Babi Xavier, Luís Ricardo e Silvio Luiz –, o telespectador acionava, por telefone, o canhão que disparava a bola rumo ao gol. Para a defesa, profissionais do futebol. Para uma nova versão, a coluna sugere Luiz Alano, narrador que, no momento, responde também pelo SBT Sports. Aliás, é hora da emissora otimizar a equipe esportiva, começando por um espaço adequado para o Arena SBT, hoje escondido nas madrugadas de segunda para terça-feira, e o próprio SBT Sports, ocultado às 7h30 das manhãs de domingo.

Novelas adultas

Esmeralda
Bianca Castanho (Esmeralda) e Cláudio Lins (José Armando) em Esmeralda (Imagem: Francisco Inácio / SBT)

Com novelas infanto-juvenis, o SBT conquistou uma parcela importante da audiência do horário nobre. Mas não só de Carrossel (2012) e As Aventuras de Poliana (2019) deve viver a dramaturgia da rede, que já produziu clássicos como Éramos Seis (1994). A coluna torce para que o segundo horário de folhetins, ainda que na “linha família” que Íris Abravanel e os demais envolvidos no departamento exaltam, venha aí… A expectativa para tal existe desde o fim do contrato com a Warner Bros e a Disney, que respondiam pelo pacote de filmes da casa. O dinheiro poupado ali ninguém sabe, ninguém viu. Novela custa caro, é fato. Mas rende muito também. Uma trama como Esmeralda (2004) às 21h30… Sucesso garantido.

Programa Livre

Programa Livre
Caetano Veloso, Serginho Groisman e Gilberto Gil no Programa Livre (Imagem: Francisco Inácio / SBT)

O Programa Livre, que consagrou Serginho Groisman, era o “point” da juventude na década de 1990. Os grandes nomes da música, consagrados ou em ascensão, passaram pelo palco, democrático a ponto de permitir aos adolescentes que fizessem perguntas aos convidados que um adulto, polido ou hipócrita, jamais teria coragem de fazer. Quando Serginho migrou para a Globo, o formato ganhou cinco apresentadores que passavam longe da excelência do antigo titular. Em 2000, o Programa Livre passou para as madrugadas, sob o comando da ex-VJ Babi Xavier. O horário permitia certa ousadia nos debates… Diária ou semanal, a atração vem a calhar no SBT que se distancia cada vez mais desta faixa etária.

Qual é a Música?

Qual é a Música
Adriane Galisteu, Hebe Camargo, Fafá de Belém, Silvio Santos, Rodriguinho, Cacá Rosset e Jorge Kajuru no Qual é a Música (Imagem: João Batista da Silva / SBT)

As reprises do Programa Silvio Santos colocaram o Qual é a Música? no radar dos nostálgicos e das novas gerações. A icônica disputa ganhou similares nos últimos anos, como o Ding Dong do Domingão do Faustão – agora revisitado no Caldeirão com Mion. É o fato que a música brasileira empobreceu. Se uma edição do fim da década de 1990 contemplava todos os ritmos, as de hoje, certamente, seriam dominados pelo tal sertanejo universitário. A produção deve buscar diversificação, claro, além de convidados com história e conhecimento no meio, ao lado, talvez, das celebridades do momento. O Qual é a Música?, importante ressaltar, cabe tanto como quadro, quanto em formato solo.

Qual é o seu Talento?

Qual é o seu Talento
André Vasco à frente do Qual é o seu Talento (Imagem: Lourival Ribeiro / SBT)

Programas com calouros nunca saem de moda. Nesta linha, o SBT trouxe o Qual é o seu Talento?. André Vasco conduziu o formato que recebia candidatos com as mais diferentes habilidades artísticas. No júri, Arnaldo Saccomani, Carlos Eduardo Miranda, Cyz Zamorano e Thomas Roth. Uma disputa judicial com a FremantleMedia, detentora dos direitos do Britain’s Got Talent, então negociado com a Record, pôs fim à atração. Nada que o acerto com a produtora não resolva… O Qual é o seu Talento? é uma boa opção para a linha de shows hoje restrita ao Arena SBT em dia e horário equivocados, às sessões de filmes com títulos desinteressantes e A Praça é Nossa na faixa que desagrada Carlos Alberto de Nóbrega.

SBT Repórter

SBT Repórter
Marília Gabriela no comando do SBT Repórter (Imagem: Francisco Inácio / SBT)

Outra boa opção para às 23h: SBT Repórter. O premiado jornalístico demanda, claro, equipe. O time dos primórdios incluía Hermano Henning, Marília Gabriela, Mônica Waldvogel e Roberto Cabrini, entre outros. O SBT, lamentavelmente, hoje preza por tipos como Dudu Camargo e Marcão do Povo. Mas… Há esperança! E ela reside no desempenho da afiliada do Rio de Janeiro, onde Isabele Benito reina absoluta. E no portal SBT News, onde talentos como Fábio Diamante e Simone Queiróz apresentam bons trabalhos. O SBT Repórter indica audiência e prestígio, além de ser uma marca associada ao jornalismo, que já viveu dias melhores, da casa – tal qual o Globo Repórter e o Fantástico para a emissora-líder.

Supernanny

Supernanny
Cris Poli, apresentadora do Supernanny (Imagem: Roberto Nemanis / SBT)

Supernanny é outra atração licenciada que os fãs do SBT aguardam, ansiosos, por um retorno. Nos vários episódios do reality, a pedagoga Cris Poli buscou melhorar a relação de pais e filhos por métodos que ficaram famosos entre o público, como o “cantinho da disciplina”. Cabe salientar que, nos últimos meses, o disse-me-disse da web apontou para “armações” durante as filmagens. Evidente que, nem tudo que a TV transmite, é verdade. Enfim… Para um canal que prima pelo público infanto-juvenil, nada mais adequado do que este resgate, talvez nas noites de sábado, hoje restritas às competições culinárias. Fato que, apesar do desejo da volta, é bom trabalhar com temporadas para evitar o eventual desgaste.

Viva a Noite

Viva a Noite
Gugu Liberato no Viva a Noite (Imagem: Moacyr do Santos / SBT)

Gugu Liberato é sempre associado ao Domingo Legal, mas foi no Viva a Noite que ele se consagrou. Quadros como Sonho Maluco habitam as lembranças de quem era assíduo do programa nas noites de sábado. A atração acabou convertida, guardadas as devidas proporções, em Sabadão. A última fase do formato, com este título, foi conduzida por Celso Portiolli. Hoje, o Viva ou Noite (ou Sabadão) parece apropriado para o clã Abravanel: Patricia, Rebeca ou Tiago. A volta deste programa pode deixar o fim de semana do SBT mais interessante… Inclusive, vários títulos citados nesta matéria cabem como quadros de um novo Viva a Noite. O sábado, ou qualquer outro dia, tende a ficar mais interessante com esta investida.

Duh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog Vivo no Viva, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›