13 anos depois e com uma novela adaptada, SBT abandona acervo de Janete Clair

Janete Clair
Acervo de Janete Clair segue nas mãos do SBT; não há, porém, iniciativas para uso de tramas (Imagem: Adir Mera / Agência O Globo)

Há quase 10 anos sem produzir novelas para o público adulto, o SBT engavetou dezenas de projetos nos últimos tempos, entre eles os baseados em obras radiofônicas de Janete Clair, que inclui 35 novelas, muitas delas já escritas inteiramente. O acervo adquirido em setembro de 2008 rendeu apenas uma adaptação em 2009, Vende-se um Véu de Noiva.

Procurada pela coluna Curto-Circuito, a comunicação da emissora de Silvio Santos admite que não há nenhuma previsão para a utilização destes textos e diz que detém os direitos dos mesmos para as próximas duas décadas. “A vigência dos direitos das obras de Janete Clair expira em 2043. E não tem data para a produção”, informa a emissora.

Além de histórias que foram aproveitadas pela própria autora na Tupi e na Globo, o acervo inclui obras que deram origem a outras adaptações de sucesso, como a radionovela A Noiva das Trevas, que serviu de base para Direito de Amar, folhetim de Walther Negrão às 18h, em 1987, estrelada por Carlos Vereza, Gloria Pires e Lauro Corona.

Responsável pela única adaptação do acervo no SBT, Íris Abravanel não chegou a ler outras sinopses do material quando escolheu reescrever Vende-Se um Véu de Noiva. A emissora produziu outras novelas adultas depois, como a também adaptada Uma Rosa com Amor, mas desistiu deste nicho com o sucesso de Carrossel (2012).

Falando nisso…

A coluna tentou, mas não descobriu se uma possível reapresentação de Direito de Amar no Canal Viva ou a disponibilização do título no Globoplay ficam inviabilizadas pelo fato do original de Janete Clair estar nas mãos do SBT. Cabe lembrar que, anos atrás, o Viva exibiu Pai Herói (1979), também concebida a partir de uma radionovela –Um Estranho na Terra de Ninguém, cujos direitos a Record negociou em 2015.

Sai Cora, entra Altiva

Se Um Lugar ao Sol ainda não pode ser confirmada como sucessora de Império por conta da pandemia, em Portugal a Globo já definiu a trama que substituirá a história do comendador José Alfredo (Alexandre Nero). No dia 31 de maio, A Indomada (1997) fará sua estreia no horário nobre da terrinha.

Escrito por Aguinaldo Silva, também autor de Império, e Ricardo Linhares, o clássico dos anos 1990 apresentou personagens que marcaram o imaginário popular aqui no Brasil, como o misterioso Cadeirudo e a venenosa Maria Altiva, vivida por Eva Wilma, que eternizou o bordão “Oxente my god”.

Nem conversa

Afastado da televisão desde 2016 devido à acusação de assédio sexual contra a figurinista Su Tonani, José Mayer vem recusando entrevistas para falar sobre a reprise de Império, na qual interpreta o empresário Cláudio. Em conversa com esta coluna, a assessoria do ator veterano afirma que ele prefere se manter afastado da vida pública e que “está bem, feliz e curtindo a vida ao lado da família dos amigos”.

Duh Secco e Daniel RibeiroDuh Secco e Daniel Ribeiro
A coluna Curto-Circuito é assinada por Duh Secco e Daniel Ribeiro, editor-assistente e repórter especial do RD1, respectivamente, e reúne, de terça a sábado, logo cedinho, o que é e vai virar notícia nas próximas horas envolvendo os movimentados bastidores da TV.
Veja mais ›