Menos vista que Alta Estação, reprise de Apocalipse se torna o maior fracasso da Record

Apocalipse
Record aposta no surgimento do anti-cristo em Apocalipse como entretenimento na quarentena (Imagem: Reprodução / Record)

Considerando os primeiros números, a versão especial de Apocalipse poderá se tornar o maior fracasso de audiência da história do horário nobre da Record em muitos anos, superando até mesmo Alta Estação (2006) e Metamorphoses (2004), tramas lembradas até hoje pelo fracasso de público e crítica.

Esta coluna do RD1 fez um levantamento comparando os 5 primeiros capítulos de Apocalipse com o mesmo período de exibição de todas as outras novelas exibidas no horário nobre da emissora, incluindo as reprises. Com uma audiência de 6,1 pontos, a trama bíblica é o produto de dramaturgia menos vista dos últimos 16 anos pelo menos.

Com apenas um décimo de vantagem, Balacobaco (2012), a reexibição de Os Dez Mandamentos (2017) e Alta Estação empatam tecnicamente como três das novelas menos vistas dos últimos anos – com 6,2 pontos de audiência cada. Os primeiros capítulos de Metamorphoses e Vidas Cruzadas (2001) “disparam” na frente, com 6,7 e 6,5 pontos de média, respectivamente.

A escolha de Apocalipse na quarentena vai na contramão da estratégia da Globo de apostar em histórias leves e alto-astral para entreter o público que precisa ficar em casa em pleno isolamento social. Sem muitas opções em seu catálogo de novelas, a Record acreditou que a narrativa sobre o surgimento do anti-cristo – e suas consequências desastrosas na sociedade – poderia gerar reflexões sobre a fé neste momento de pandemia. Só que não.

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.

WordPress Lightbox