Que Rei Sou Eu? chega ao Globoplay em março; confira outros títulos do streaming

Duh Secco

10/02/2022

Globoplay

Edson Celulari (Jean Pierre) em Que Rei Sou Eu?; novela estreia no Globoplay em março (Imagem: Divulgação / Globo)

Dos 21 títulos que o Globoplay deve disponibilizar entre março e dezembro deste ano, dentro do projeto Resgate, 15 já são conhecidos. Que Rei Sou Eu? (1989), clássico de Cassiano Gabus Mendes, chega à plataforma mês que vem. A novela deve vir junto de Sonho Meu (1993), que conclui sua passagem pelo Canal VIVA no próximo dia 25.

Para breve, estão previstos os lançamentos de Lua Cheia de Amor (1990), A Próxima Vítima (1995), América (2005) e Paraíso (2009).

A minissérie Um Só Coração (2004) também será anexada ao streaming da Globo após a passagem pelo VIVA – prevista para este semestre. O mesmo vai ocorrer com Amor com Amor se Paga (1984), O Beijo do Vampiro (2002), A Casa das Sete Mulheres (2003), Alma Gêmea (2005), Páginas da Vida (2006) e as temporadas 1996, 2009 e ID de Malhação.

A coluna apurou que a versão original de Guerra dos Sexos (1983) também está a caminho do Globoplay. A obra assinada por Silvio de Abreu é sempre associada à cena do café da manhã em que Charlô (Fernanda Montenegro) e Otávio (Paulo Autran) despejam todas as iguarias da mesa um no outro, sob os olhares incrédulos da empregada Olívia (Marilu Bueno).

Tesoura I

A Globo rifou cenas de O Clone (2001) que mostram o envolvimento de Mel (Débora Falabella) com as drogas. No capítulo da última segunda-feira (7), duas sequências importantes para a trama ficaram de fora do Vale a Pena Ver de Novo: a de Nando (Thiago Fragoso) oferecendo maconha para a jovem, em pânico com a prisão de Xande (Marcello Novaes), e a de Lidiane (Beth Goulart) estranhando o comportamento dos dois e de Cecéu (Sérgio Marone) – disponíveis aqui e aqui.

Tesoura II

Os cortes deixaram a narrativa “truncada”. Mel reclamou por estar com “hortelã na cabeça”, enquanto Lidiane desabafou com Clarice (Cissa Guimarães) sobre o ataque de risos do grupo – a ex-mulher de Escobar (Marcos Frota) já havia observado o comportamento estranho do herdeiro, Nando. Os cortes mostram que, mesmo com Classificação Indicativa aconselhando o produto para maiores de 12 anos, os folhetins das 21h não terão vida fácil no ‘Vale a Pena’

Vale conferir

O Haiti é no Cambuci

Mariane Salerno em gravação de O Haiti é no Cambuci; documentário original e exclusiva está no PlayPlus (Imagem: Reprodução / PlayPlus)

O PlayPlus disponibilizou para assinantes, semana passada, o documentário exclusivo e original O Haiti é no Cambuci. A produção acompanha a comunidade haitiana de São Paulo, formada por cerca de 30 mil imigrantes que, atualmente, dominam a região com negócios próprios e fortes traços culturais – que incluem o creole como idioma, a predileção por perucas entre as mulheres e pratos típicos, caso do peixe com banana da terra.

Aliás…

O Haiti é no Cambuci encontrou resistência entre os entrevistados. Além da comunidade haitiana ser extremamente fechada, o assassinato do presidente Jovenel Moïse em Porto Príncipe, capital do Haiti, causou temor. A falta de confiança e o receio da aproximação da equipe de reportagem, liderada por Mariane Salerno, marcaram as gravações, transcorridas no segundo semestre do ano passado.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui
Duh Secco
Escrito por

Duh Secco

Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog Vivo no Viva, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.