Se as evidências apontam o fim do Se Joga, por que, afinal, a Globo não confirma?

Se Joga
Mesmo com todas as evidências, Globo desconversa sobre o fim do Se Joga (Imagem: Divulgação / Globo)

Projeto idealizado pela Globo para substituir o Vídeo Show, o Se Joga está prestes a completar cinco meses fora do ar.  Sem cumprir a missão de devolver a liderança para a emissora, são várias as evidências de que a atração de Érico Brás, Fabiana Karla e Fernanda Gentil não voltará à grade.

Em maio, durante uma live, Paulo Vieira afirmou que o programa seria extinto. A Comunicação da Globo, no entanto, se apressou em vir a público para esclarecer que apenas os quadros de humor teriam sido cancelados, como parte de uma proposta de reformulação.

Paralelamente, os apresentadores acabaram galgando outros espaços na grade. Além de um quadro no É de Casa, Fernanda Gentil foi uma das escaladas para cobrir as férias de Fátima Bernardes.

Encontro e É de Casa, aliás, também absorveram Tati Machado e Érico Brás. Já Paulo, por sua vez, ganhou um espaço no Fantástico, além de Cada Um no Seu Quadrado, projeto para o Globoplay.

O desempenho da Globo sem o Se Joga

Há também um outro fator preponderante que sinaliza o fim do Se Joga.  A audiência. Esticado por conta da pandemia de coronavírus, o Jornal Hoje com Maju Coutinho conseguiu neutralizar A Hora da Venenosa. Como bem sintetizou o colega Reuber Dirr, aqui do RD1, a cobra de pelúcia está provando de seu próprio veneno.

Além do total silêncio sobre um eventual retorno do programa, há evidências da extinção que não são tão visíveis ao público em geral.  A emissora, que já havia deletado o plano comercial, agora também retirou a página com informações sobre o Se Joga de seu site de Negócios.

Se Joga
Globo retirou informações sobre o Se Joga de seu site de Negócios; página do Mais Você, também fora do ar, continua intacta (Imagem: Reprodução / Globo)

Para efeito de comparação, mesmo fora do ar temporariamente, a página do Mais Você foi preservada. Fora isso, destaca-se a dificuldade em obter o registro da marca junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial  (INPI).

Mesmo com tantas evidências, Globo e apresentadores desconversam

Mesmo com tantas evidências, a Globo desconversa quando questionada sobre o futuro do Se Joga. Ao ser questionada pelo RD1 ou por qualquer outro site que cobre TV, limita-se quase sempre a reiterar que “não há previsão para o programa voltar ao ar”.

Os apresentadores, por sua vez, se esquivam ou buscam desculpas para justificar o desempenho ruim. Em entrevista à Patrícia Kogut, Fernanda Gentil admitiu que não fica se sufocando por essa resposta.

Mais importante do que saber se volta ou não, é garantir a proteção e a segurança de todos e entender como fica a vida depois. Essa é a prioridade. Dentro de uma pandemia mundial, com mais de 30 mil mortes no país, o ‘Se Joga’ é menor que o vírus. Então, vamos esperar“, desabafou.

Já Érico Brás, para a Folha, atribuiu a rejeição ao programa a um suposto comportamento discriminatório do público. “Tinha eu, o negro, tinha a gordinha nordestina e a jornalista casada com uma mulher. As cobranças em cima das três imagens nas redes sociais vinham forte. Diziam para tirar um e deixar só dois, diziam que o sotaque era pesado, não criticavam o formato“, opinou.

Afinal de contas, por que o Se Joga não pegou?

Com todo o respeito ao trabalho da equipe envolvida, falta o principal: autocrítica.  É preciso reconhecer a falta de consistência do projeto que marcou a transição de Fernanda Gentil. Depois de uma bem-sucedida passagem pelo jornalismo, ela migrou para o entretenimento.

A diversidade no time de apresentadores nem de longe é um entrave, como defende Érico. O problema está em quadros de humor que, em sua maioria, não fazem rir. Há de se ressaltar ainda os games extremamente desinteressantes, que, por vezes, subestimavam a inteligência do público.

O que dizer ainda do indigesto Doce ou Fake, em que os convidados comiam cupcakes preparados com ingredientes extravagantes? Em plena hora do almoço, extremamente desagradável ver gente “gorfando” em um balde.

Reconhecida pela persistência em emplacar projetos novos, a Globo também precisa aprender a admitir seus erros. Para ajudar a emissora nesse processo, a gente reforça a pergunta título deste post. Se as evidências apontam o fim do Se Joga, por que, afinal, a Globo não confirma? Continuaremos no aguardo dessa resposta.

CONTINUE LENDO →
Piero Vergílio é jornalista profissional desde 2006. Já trabalhou em revistas de entretenimento no interior de SP e teve passagens pelo próprio RD1. Em tempos de redes sociais, criou um perfil (@jornalistavetv) para comentar TV pelo Twitter e interagir com outros fãs do veículo. Agora, volta ao RD1 com a missão de publicar novidades sobre a programação sem o limite de 280 caracteres.